Antônio César, fundador do PDT e da JS-PDT, morre no Rio aos 66 anos

“Perdemos um quadro representativo que militou incansavelmente pelo PDT”, define Lupi

O PDT e a Juventude Socialista (JS) perderam um dos seus históricos fundadores. O economista Antônio César do Amaral, de 66 anos, faleceu na madrugada desta sexta-feira (11), no Rio de Janeiro, vítima de infarto.

Com carreira consolidada no setor público, o militante fluminense atuou ao lado de Leonel Brizola na defesa do trabalhismo desde a década de 80, quando o partido governou o estado em duas oportunidades: de 1983 a 1987 e de 1991 a 1994.

Nas gestões pedetistas, se destacou, principalmente, como diretor de Administração de Finanças da Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (SERLA), atual Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

Como assessor, trabalhou na liderança do partido na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e nos mandatos de deputados, além da passagem pela Câmara de Vereadores da capital.

O presidente nacional do partido, Carlos Lupi, valorizou a trajetória política de mais de quatro décadas do pedetista.

“Perdemos um representativo quadro que militou incansavelmente desde a criação do PDT. Com esses exemplos, seguiremos defendendo as nossas bandeiras em prol da emancipação do povo brasileiro”, afirmou, ao prestar condolências à família e amigos.

Presidente da JS, William Rodrigues salientou o perfil “combativo” de Antônio César no dia a dia da sigla.

“Além de fundador da Juventude Socialista, sempre foi um militante apaixonado e generoso nos caminhos democráticos. Uma perda para todos nós. Seguimos em luta por ele e pelo Brasil”, disse.

O velório será realizado neste sábado (12), às 13h, no Cemitério São Francisco Xavier, que fica localizado na Rua Monsenhor Manuel Gomes, 311, no Caju, Zona Norte do Rio.

(Bruno Ribeiro)

Assista a entrevista de Antonio César ao companheiro Lauri, do Movimento Cultural Darcy Ribeiro