ABI denuncia em nota a operação da Polícia Federal contra Ciro e Cid

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI), em nota oficial, condenou nesta quinta-feira (16/12) a invasão ocorrida ontem em Fortaleza, pela Polícia Federal, da residência do pré-candidato do PDT à presidência da República Ciro Gomes, ex-governador e ex-ministro; e de seu irmão Cid Gomes, senador no exercício do mandato.  Leia a íntegra da nota da ABI, assinada por seu presidente, o jornalista Paulo Jerônimo:

“Bem ao estilo do Estado policial que o presidente Jair Bolsonaro tenta implantar no Brasil, a Polícia Federal realizou na manhã de terça-feira ações de busca e apreensão nas residências de Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à Presidência da República, e de seu irmão, o senador Cid Gomes.
Segundo informações, a PF teria levado consigo computadores e telefones celulares de Ciro e Cid.

Considerando-se que os fatos que teriam levado à operação, segundo a própria polícia, aconteceram há cerca de dez anos, que provas poderia haver nos equipamentos apreendidos?

É evidente que estamos diante de uma operação ilegal de espionagem, aprovada por um juiz que repete os métodos autoritários de Sérgio Moro, próprios de uma ditadura, cujos objetivos podem ser dois: buscar informações sobre as atividades dos dois políticos ou intimidar opositores do presidente Bolsonaro.

Em qualquer dos casos, estamos diante de um atropelo inadmissível numa democracia.

A Associação Brasileira de Imprensa protesta duramente contra esse procedimento e exige a punição dos responsáveis, na forma da lei.

Paulo Jeronimo – Presidente da ABI”