56ª Legislatura: Conheça a nova bancada pedetista na Câmara

PDT na Câmara
02/02/2019

Vinte e oito deputados do PDT tomaram posse no início da 56ª Legislatura da Câmara dos Deputados. Nos próximos quatros anos, os parlamentares vão reforçar a atuação pedetista em defesa dos trabalhadores, da educação, da saúde e da soberania nacional, pelo desenvolvimento do País.

A representação feminina da legenda aumentou. O PDT conta agora com três deputadas: Flávia Morais, que se reelegeu por Goiás, e as novatas Silvia Cristina (RO) e Tabata Amaral (SP). Entre os deputados reeleitos que estiveram em exercício na última legislatura, estão André Figueiredo (CE), atual líder na Casa; Sérgio Vidigal (ES); e Pompeo de Mattos (RS), presidente da Comissão de Legislação Participativa. Gustavo Fruet (PR), Paulo Ramos (RJ) e Flávio Nogueira (PI) voltam à Câmara para um novo mandato.

Com uma renovação de quase 55% do seu quadro, o partido chega a esta legislatura com um número de deputados 40% maior em relação à última legislatura (55ª), quando 20 parlamentares integravam a bancada pedetista. Sua principal missão é encarar o desafio de ser oposição ao Governo de forma responsável, em prol de todos os brasileiros, contra todo tipo de retrocesso.

Confira a nova composição do PDT da Câmara dos Deputados:

AFONSO MOTTA

Reeleito pelo Rio Grande do Sul com mais de 65 mil votos, Afonso da Motta está no terceiro mandato como deputado federal. Natural de Alegrete (RS), Motta é advogado e produtor rural. Atualmente, é vice-presidente estadual do PDT. Foi secretário de governo no estado e trabalhou em diversas funções no Grupo RBS de Comunicação, sendo o idealizador do Canal Rural. Presidiu a Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (AGERT-RS). Membro do Instituto dos Advogados do Rio Grande do Sul, foi conselheiro da OAB e integrou as comissões de Ética e Disciplina, de Estudos dos Problemas da Terra e a Comissão Especial de Políticas Criminais e Segurança Pública. Também integrou o Fórum Nacional da Agricultura.

ALEX SANTANA

Alex Santana é natural de Salvador (BA). Eleito pelos baianos com mais de 62 mil votos para seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, tem seu foco de atuação na defesa de políticas públicas que promovam a valorização da vida com base nos princípios cristãos, a liberdade religiosa e a proteção das mulheres em condição de risco. Em 2016, criou um trabalho de construção e desenvolvimento de ações sociais para o atendimento de comunidades carentes e em situação de risco. Também tem como bandeira a valorização do trabalho das entidades associativas.

ANDRÉ FIGUEIREDO

Reeleito pelo Ceará, André Figueiredo está em seu quarto mandato na Câmara dos Deputados. Economista e advogado, sua atuação política na Casa garantiu a aprovação de matérias importantes, como o projeto dos royalties do petróleo sancionado em setembro de 2013. Relator da matéria, André Figueiredo garantiu a aprovação do texto que assegurou 75% dos recursos do pré-sal para a educação e 25% para a saúde. Como relator da Medida Provisória 529/11, transformada na Lei 12.470/11, incorporou ao texto da norma a manutenção do pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) aos aprendizes com deficiência. Com a medida, mais de 45 mil brasileiros com algum tipo de deficiência que desejam ingressar no mercado de trabalho como aprendizes podem acumular o salário-aprendizagem com o BPC. Líder da bancada na Câmara e considerado pelo DIAP, por sete anos consecutivos, um dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, é vice-presidente nacional do PDT e presidente do partido no Ceará.

CHICO D´ÂNGELO

Reeleito pelo Rio de Janeiro para o quarto mandato na Câmara, Chico D’Angelo é médico formado pela Faculdade de Medicina de Campos, cidade onde nasceu. Fez residência médica na Santa Casa de Misericórdia, no Rio de Janeiro. Aliou, desde cedo, o trabalho como médico à militância política na área da saúde. Representou os médicos residentes da Santa Casa, dirigiu o Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro, o Conselho Regional de Medicina de Niterói e a Federação Nacional dos Médicos. Como secretário municipal de Saúde de Niterói, inaugurou a primeira maternidade pública da cidade, criou a Unidade de Saúde Mário Monteiro, pioneira na implantação de unidade de urgência com a lógica pré-hospitalar, e implantou centros de atenção psicossocial para dependentes químicos e para crianças e adolescentes. Foi responsável pela reabertura da emergência pediátrica do hospital Getulinho, referência no atendimento às crianças. Na Câmara, encampa a luta pela saúde pública de qualidade e acessível, pelo fortalecimento do SUS e em defesa da cultura nacional. Foi presidente da Frente Parlamentar de HIV-Aids e da Comissão de Cultura.

DAGOBERTO NOGUEIRA

Reeleito por Mato Grosso do Sul com mais de 40 mil votos, Dagoberto Nogueira está em seu terceiro mandato na Câmara. Natural de São José do Rio Preto (SP), iniciou sua trajetória política em 1993, no PDT. Advogado e administrador de empresas, exerceu os cargos de sub-chefe da Casa Civil, secretário de Justiça, Trabalho e Ação Social, diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), secretário de Justiça e Segurança Pública e secretário de Produção e Turismo em Mato Grosso do Sul. Em 2002, conquistou uma vaga na Assembleia Legislativa de MS e em 2006 elegeu-se para o primeiro mandato como deputado federal.

DAMIÃO FELICIANO

Médico por formação, o deputado paraibano Damião Feliciano está em sua sexta legislatura e tem atuado no combate às desigualdades sociais, na construção de políticas de apoio à população negra e na melhoria das condições de trabalho dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras. O parlamentar defende a aprovação do projeto que trata da redução da jornada de trabalho dos enfermeiros para 30 horas e da proposta que fixa piso salarial para médicos e dentistas. O deputado é autor do PL 4.697/12, que destina obrigatoriamente 50% das vagas de estágio no setor privado a alunos de escolas públicas dos ensinos médio e superior.

EDUARDO BISMARK

Eduardo Bismarck é natural de Fortaleza (CE). Foi eleito pelo Ceará com mais de 87 mil votos para o seu primeiro mandato na Câmara. Bacharel em direito pelo Uniceub (Brasília), atuou por vários anos nas áreas civil e administrativa, com ênfase nos setores de energia e mineração. Advogou também para entidades representativas de trabalhadores e lecionou como professor convidado em cursos de pós-graduação.

FÁBIO HENRIQUE

Eleito com mais de 35 mil votos por Sergipe para o primeiro mandato na Câmara, Fábio Henrique é advogado e policial rodoviário federal. Nascido em Simão Dias (SE), é formado em direito pela Universidade Tiradentes. Deu início à sua trajetória política em 2004, quando se elegeu vereador de Aracaju pelo PDT como o candidato o mais votado da cidade.

Em 2008, foi eleito prefeito de Nossa Senhora do Socorro. Assumiu, em 2017, a Secretaria de Turismo do estado.

FÉLIX MENDONÇA

Formado em Administração de Empresas, Félix Mendonça Jr. chega ao seu terceiro mandato atuando em defesa do trabalhador, do consumidor e do produtor rural, pela melhoria da educação, da saúde, do transporte público e da infraestrutura urbana. Foi líder da bancada do PDT na Câmara em 2014 e presidente da Comissão de Cultura em 2015. É autor do projeto que cria os selos verdes Cacau Cabruca e Cacau Amazônia para atestar a sustentabilidade e os interesses social e ambiental da cacauicultura brasileira (PL 3.665/12); do PL 3.013/11, que institui o Selo Pró-Ar e a certificação dos níveis de emissão de gases poluentes dos veículos automotores; e do PL 1.978/11, que tipifica o crime de denunciação caluniosa com finalidade eleitoral.

FLÁVIA MORAIS

Flávia Morais foi reeleita para a terceira legislatura na Câmara com mais de 169 mil votos, a segunda maior votação do estado de Goiás. Formada em educação física, a deputada iniciou sua trajetória política como secretária municipal de Assistência Social de Santa Bárbara de Goiás. Na Câmara desde 2010, a parlamentar tem atuado em defesa dos direitos humanos e das minorias, pela educação e pela saúde de qualidade para todos os brasileiros. Presidiu a Comissão de Legislação Participativa em 2017 e foi relatora, em 2012, da CPI do Tráfico de Pessoas. É autora da proposta que concede linha de crédito aos proprietários rurais nos mesmos moldes em que são concedidos aos agricultores familiares e da emenda de Plenário que estabelece o prazo máximo de 60 dias, contados do diagnóstico médico, para o paciente receber, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o tratamento disponível contra o câncer, incluindo cirurgia, radio e quimioterapia (Lei 12.732/12).

FLÁVIO NOGUEIRA

Quarto candidato mais votado do Piauí (111.672 votos), Flávio Nogueira volta à Câmara para a sua segunda legislatura. Em 2015, assumiu o primeiro mandato como suplente. Natural de Alto Santo (CE), é presidente do Diretório Estadual do PDT no Piauí.

Médico formado pela UFPI, é especialista em cirurgia torácica e cancerologia pelo Instituto Nacional do Câncer do Rio de Janeiro. Estagiou no Royal Brompton Hospital (Inglaterra), integrou o staff de cirurgia torácica do Hospital Sousa Aguiar (RJ) e foi professor na Faculdade de Medicina de Valença (RJ). Em Teresina, ocupou, por 20 anos, o cargo de diretor clínico do Hospital São Marcos. É ex-presidente do Sindicato dos Médicos do Piauí e ex-conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado.

Em 1998, foi eleito pelo PT para o primeiro mandato como deputado estadual no Piauí. Em seguida, filiou-se ao PDT, sendo reeleito para mais duas legislaturas. Em 2010, disputou o cargo de vice-governador na chapa encabeçada por João Vicente Claudino. Exerceu a presidência da Fundação Municipal de Saúde de Teresina e do Instituto de Assistência e Previdência do Estado do Piauí (IAPEP), além de secretário de Defesa Civil, das Cidades e de Turismo.

GIL CUTRIM

Eleito com mais de 72 mil votos para o primeiro mandato na Câmara, Gil Cutrim nasceu em São Luís (MA). Formado em direito pela universidade CEUMA, atuou como agente judiciário, assessor parlamentar e assessor-chefe de desembargador.

Em 2008, foi eleito vice-prefeito de São José de Ribamar, terceira maior cidade do Maranhão, vindo a assumir a prefeitura em 2010, após renúncia do prefeito.

Em 2011, foi reeleito prefeito com 69,25% dos votos. Assumiu a presidência da Federação dos Municípios do Maranhão (FAMEM) para o biênio 2013-2014 com a maior votação da história da entidade. Em 2015, foi o primeiro prefeito a ser reconduzido ao cargo de presidente da FAMEM.

Condecorado com vários prêmios nacionais, foi considerado um dos cem melhores prefeitos do Brasil. Durante a sua gestão, São José do Ribamar foi apontada pela revista Veja como uma das vinte metrópoles brasileiras do futuro.

GUSTAVO FRUET

Gustavo Bonato Fruet nasceu em Curitiba (PR) em 1963. É filho de Ivete e Maurício Fruet, que foi deputado estadual, deputado federal e prefeito de Curitiba. Retorna à Câmara como o deputado federal mais votado em Curitiba, com 113.252 votos.

Formado em direito pela Universidade Federal do Paraná, é mestre em Direito Público e doutor em Direito das Relações Sociais pela mesma universidade.

Iniciou sua atuação política no movimento estudantil, tendo sido presidente do Centro Acadêmico Hugo Simas, do curso de Direito da UFPR. Em 1996, foi eleito vereador em Curitiba. Dois anos depois, elegeu-se deputado federal após uma campanha curta, na qual assumiu o lugar do pai, falecido poucos dias antes da eleição. Em 2002, foi reeleito para o segundo mandato como deputado federal, com 105.166 votos. Em 2012, elegeu-se prefeito de Curitiba com 597.200 votos (60,65%).

IDILVAN ALENCAR

Idilvan Alencar foi eleito pelo Ceará para o primeiro mandato na Câmara com mais de 154 mil votos. Natural do Crato, região do Cariri, é graduado em engenharia civil pela Universidade de Fortaleza (Unifor) e mestre em Gestão e Avaliação da Educação Pública pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Tem especialização em engenharia de produção e em marketing. Autor de artigos publicados sobre educação.

Auditor fiscal de carreira, participou do processo de reestruturação e redesenho de processos do governo estadual do Ceará. Ente 2007 e 2014, foi secretário-executivo da Secretaria da Educação do estado. Em 2015, presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Em 2016, assumiu como Secretário de Educação do Ceará e, em 2017, como presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

No comando da Secretaria da Educação, proporcionou ao Ceará, em 2017, o maior salto no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), passando do 12º lugar no Brasil para o 4º lugar – fruto do planejamento estratégico com foco na aprendizagem, valorização do magistério e cooperação entre estado e municípios.

JESUS SÉRGIO DE MENEZES

Jesus Sérgio de Menezes foi eleito pelo Acre para o seu primeiro mandato na Câmara. Formado em matemática, com MBA em Negócios Financeiros, atuou por 20 anos como professor da rede pública de ensino e como bancário. Em 2012, foi eleito vereador em Tarauacá, sua cidade natal, e, em 2015, conquistou mandato como deputado estadual no Acre.

Na Assembleia Legislativa do Acre, foi avaliado como o deputado estadual mais produtivo da legislatura. Apresentou, entre outros projetos, o que regulamenta o uso de celulares em escolas públicas e o que proíbe o trote violento aos calouros nas universidades. Como deputado federal, pretende continuar atuando na defesa pelos direitos básicos da população acreana, somando esforços na busca de destinação de recursos para a educação, saúde, trabalho e segurança pública.

LEÔNIDAS CRISTINO

Reeleito pelo Ceará com mais de 102 mil votos, Leônidas Cristino está em seu quarto mandato na Câmara. Engenheiro civil, tem larga atuação na área de engenharia rodoviária em vários estados. Foi diretor de Operação da Superintendência Municipal de Obras e Viação da Prefeitura de Fortaleza (Sumov) em 1989 e 1990 e secretário dos Transportes, Energia, Comunicações e Obras do Ceará entre 1991 e 1994. Foi prefeito de Sobral (CE) por dois mandatos, entre 2005 e 2010. Em 2011, assumiu o cargo de ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, quando lançou o Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP) e liderou o processo da aprovação do novo Marco Regulatório do Setor Portuário, que teve como resultado o aumento da produtividade, melhoraria da eficiência na gestão, redução de custos e expansão dos investimentos portuários. Atualmente, preside a Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional.

MÁRIO HERINGER

Presidente do PDT em Minas Gerais, Mário Heringer exerce o quinto mandato na Câmara. Médico ortopedista e gestor hospitalar, elegeu-se deputado federal pela primeira vez em 2002, aos 49 anos. Com atuação parlamentar pautada pela defesa dos direitos à saúde, educação e trabalho, foi reconhecido pelo DIAP, em 2010, como um dos “cabeças do Congresso Nacional”, por sua influência nos trabalhos de articulação política. Presidiu a Comissão de Direitos Humanos, a Frente Parlamentar dos Vereadores, coordenou a Bancada Mineira e foi Secretário de Relações Internacionais da Câmara. Mario Heringer é autor de diversos projetos de lei na área de segurança pública voltados para o combate às facções criminosas que atuam em presídios. Também são de sua autoria o projeto que estabelece regras para a prevenção de acidentes em piscinas públicas e privadas (PL 162/07) e a proposta que proíbe a fabricação e venda de produtos de higiene e cosméticos com microesferas de plástico (PL 6528/16).

MARLON SANTOS

Marlon Arator Santos da Rosa chega à Câmara para o primeiro mandato com 116.483 votos do eleitorado gaúcho. Foi vereador e prefeito de Cachoeira do Sul (RS), sua cidade natal, e deputado estadual no Rio Grande do Sul por três mandatos. Na última legislatura, para a qual obteve a maior votação do estado, foi presidente da Assembleia Legislativa, onde também foi relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias e do Orçamento Estadual.

Produtor rural, empresário, consultor de marketing e especialista em Biotecnologia e Negócios Agrícolas, também atua como escritor e realiza trabalhos mediúnicos filantrópicos.

MAURO FILHO

Em seu primeiro mandato como deputado federal, Mauro Benevides Filho foi eleito pelo Ceará com mais de 157 mil votos. Mauro Filho é formado em economia pela Universidade de Brasília e tem doutorado pela Universidade de Vanderbilt (EUA). Professor da Universidade Federal do Ceará, deu início à sua trajetória política quando assumiu a Secretaria de Finanças da Prefeitura de Fortaleza na gestão de Ciro Gomes.

Em 1990, elegeu-se deputado estadual, licenciando-se do cargo para assumir a Secretaria de Planejamento do Ceará, no governo de Ciro Gomes. Esteve à frente, ainda, das Secretarias de Administração e de Fazenda. Reelegeu-se deputado estadual em 1994, 1998, 2002 e 2006.

PAULO RAMOS

Eleito pelo Rio de Janeiro, Paulo Ramos volta à Câmara para seu terceiro mandato. Nascido em Realengo (RJ), é oficial da reserva da PM, advogado, administrador de empresas e especialista em políticas públicas pela UFRJ. Sua trajetória política iniciou-se na década de 1960, quando teve destacada participação na luta contra a ditadura, pela anistia e pela redemocratização do país.

Em 1998, foi eleito deputado estadual no Rio de Janeiro, sendo reeleito para outras quatro legislaturas: 2002, 2006, 2010 e 2014. Na Alerj, presidiu as comissões de Servidores Públicos, de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional e de Trabalho, Legislação Social e Seguridade Social. Também presidiu as Comissões Parlamentares de Inquérito que apuraram a violência contra policiais, o desdobramento da recuperação judicial e da falência da Varig e a venda de ativos da Petrobras.

Ao longo de quase vinte anos como deputado estadual, tornou-se grande defensor das diversas categorias de servidores públicos, apoiando a sua luta por melhores planos de cargos e salários e condições de trabalho.

Deputado federal entre 1987 e 1995, foi considerado Constituinte Nota 10 pelo DIAP, por ter defendido e votado favoravelmente aos direitos dos trabalhadores.

POMPEO DE MATTOS

Reeleito pelo Rio Grande do Sul para o quinto mandato, com mais de 80 mil votos, Pompeo de Mattos iniciou sua trajetória política no movimento estudantil em Santo Augusto (RS), cidade onde nasceu, e no diretório acadêmico de direito da Universidade de Cruz Alta.

Ajudou a fundar o PDT. Em 1982, foi eleito vereador em Santo Augusto e, em 1986, o prefeito o mais jovem do Brasil. Sua gestão foi marcada pela forte atuação na área da educação. Em 1990 e 1994, foi eleito deputado estadual no Rio Grande do Sul.

Na Câmara dos Deputados, luta por educação e saúde de qualidade e atua em defesa dos trabalhadores, dos aposentadores e dos agricultores. Presidente da Comissão de Legislação Participativa, é autor de mais de 300 propostas legislativas.

ROBÉRIO MONTEIRO

Marcos Robério Monteiro foi eleito pelo Ceará para o primeiro mandato na Câmara com mais de 131 mil votos. Nascido em Itarema (CE), tem 48 anos e é empresário. Foi deputado estadual entre 2015 e 2018 e prefeito de Itarema por dois mandatos, entre 2005 e 2012, quando o município figurou na lista das cidades que mais se desenvolveram no Ceará.

Durante sua gestão na prefeitura, foram construídas, por meio de um programa de habitação, mais de 1.600 casas e um Centro Administrativo. Sua administração foi reconhecida nacionalmente, sendo premiada três vezes com o Selo Unicef e duas vezes com o Selo Verde. Robério Monteiro também recebeu o título de “Melhor Prefeito do Brasil” e esteve entre os “Melhores Prefeitos do Estado do Ceará” por oito vezes consecutivas.

SERGIO VIDIGAL

Sergio Vidigal nasceu em Vitória (ES). Formou-se em medicina pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (Emescam) em 1980 e especializou-se em Psiquiatria pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1981. No mesmo ano, ingressou na Secretaria de Saúde do Espírito Santo e passou a atuar como médico na Prefeitura da Serra.

Iniciou sua trajetória política no PDT em 1988. É presidente estadual da sigla no Espírito Santo. Em 1989, foi eleito vereador no município da Serra. Atuou também como subsecretário estadual de Saúde em 1993. Em 1994, foi eleito deputado estadual.

Em 1996, elegeu-se para o primeiro mandato como prefeito da Serra, sendo reeleito para o cargo em 2000 e, depois, em 2008. Em 2007, assumiu a Secretaria de Políticas Públicas e Emprego do no Ministério do Trabalho, em Brasília.

Foi eleito para o primeiro mandato na Câmara em 2014 como o candidato mais votado do Espírito Santo, com 161.744 votos. Somente na Serra, foram 96.968 votos. Em 2018, foi reeleito com mais de 73 mil votos.

SILVIA CRISTINA

Silvia Cristina foi eleita com mais de 33 mil votos por Rondônia para o primeiro mandato como deputada federal. Natural de Linhares (ES), é formada em jornalismo. Em 2013, foi eleita para a Câmara Municipal de Ji-Paraná, onde se destacou por sua atuação nas áreas de ação social e de saúde, liderando movimento por políticas públicas de prevenção e tratamento de câncer em Rondônia e região. Em 2016, foi reeleita vereadora. É presidente estadual da Ação Mulher Trabalhista do PDT.

SUBTENENTE GONZAGA

O deputado Subtenente Gonzaga foi reeleito por Minas Gerais para seu terceiro mandato na Câmara. O parlamentar, que assumiu o primeiro mandato como suplente em 2014, tem se dedicado aos projetos na área de segurança pública e à defesa da melhoria das condições salariais e de trabalho dos profissionais do setor. A criação de um Código de Ética e Disciplina para policiais e corpos de bombeiros militares (PL 7.645/14) e a ampliação da competência dos órgãos de segurança pública (PEC 431/14) são algumas das propostas apresentadas pelo pedetista. Natural de São Sebastião do Sacramento, distrito de Manhuaçu (MG), Gonzaga é formado em comunicação social e começou sua trajetória na Polícia Militar em 1982, no Batalhão Florestal.

TABATA AMARAL

Tabata Amaral, 25 anos, é ativista pela educação e Deputada Federal eleita (PDT-SP). Com 264.450 votos, obteve a 6ª maior votação no estado de São Paulo, sendo a 2ª representante mulher mais bem votada no país. Vinda da periferia de São Paulo, Tabata formou-se com honras máximas em Ciência Política e Astrofísica pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos e é co-fundadora do Acredito, movimento de renovação política cujas candidaturas obtiveram mais de 1 milhão de votos na eleição de 2018. Além disso, participou da criação do Projeto VOA !, que prepara estudantes de escolas públicas para as Olimpíadas de Ciência, e do Mapa Educação, movimento que busca uma educação de qualidade para todos os brasileiros, acompanhando as políticas educacionais e realizando debates para tornar a educação, de fato, uma prioridade na agenda nacional. Já foi Trainee especialista de Educação na Ambev e atuou também nas Secretarias Municipais de Educação de Salvador e de Sobral, essa última referência nacional em educação, em que Ciro Gomes foi prefeito, motivando a filiação da Tabata ao PDT frente a certeza de atuar em um partido comprometido com a educação. Outra pauta prioritária para Tabata é a defesa dos direitos das mulheres e, dentro do PDT, tornou-se a presidente municipal da Ação da Mulher Trabalhista (AMT). Embaixadora do One Young World, Tabata é ainda bolsista da RAPS, Fundação Estudar, Lemann Fellow e do RenovaBR.

TÚLIO GADELHA

Natural de Recife (PE), Túlio Gadelha, 31 anos, é bacharel em direito e ativista político. Eleito com mais de 75 mil votos para o seu primeiro mandato na Câmara, tem como principais bandeiras a educação, os diretos humanos e a política participativa. Formado pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), atua junto a conselhos que trabalham em prol de comunidades rurais e indígenas. Leciona no Programa Rumo a Universidade (PRU), vinculado à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), voltado à formação de cidadania e conscientização política. Filiado ao PDT desde 2007, é vice-presidente da Fundação Alberto Pasqualini.

WOLNEY QUEIROZ

Em seu sexto mandato por Pernambuco, o deputado Wolney Queiroz é filiado ao PDT desde 1992. Iniciou a carreira política como vereador em Caruaru, em 1993. Considerado pelo DIAP, por 9 anos consecutivos, um dos parlamentares mais atuantes do Congresso Nacional, Wolney se destaca na defesa dos direitos dos trabalhadores e da proteção ao consumidor, entre outras bandeiras. Tem tido atuação firme contra o que considera retrocessos nas reformas previdenciária e trabalhista, além de se posicionar a favor da soberania nacional, contrariamente à privatização de empresas públicas como Petrobrás, Eletrobrás e Correios.