30 de Maio: Juventude Socialista nas ruas contra os cortes de Bolsonaro

Aos Gritos de “Darcy, Brizola criança na escola” a Juventude Socialista do Estado do Rio de Janeiro nesta quinta–feira (30) protestou contra o corte de R$ 5,8 bilhões no orçamento da Educação, realizados pelo governo Bolsonaro. O bloqueio atinge diretamente as verbas de custeio, o que inviabiliza as instituições federais de ensino.
Por volta das 15h, militantes de todas as regiões do Estado começaram a se concentrar na sede estadual do Partido, centro do Rio. Luís Moreira, Presidente Estadual da entidade, – responsável pela organização -, contextualizou o perigo das ações do governo contra a educação pública.
“Vivemos tempos difíceis, os direitos da nossa juventude estão sob ataque direito. Com um discurso de que a ideologia de esquerda se infiltrou nas Escolas e Universidades, Bolsonaro vai implantando seu projeto fascista de desmonte a educação. Nós não vamos deixar”, brada Luís.
Após a confecção de uma faixa com os dizeres “Juventude Socialista pela Educação”, os militantes se encaminharam para a Candelária e iniciaram a caminhada pela Avenida Rio Branco com objetivo de chegar à Cinelândia, palco histórico dos protestos e berço da Brizolândia. 
Para William Rodrigues, presidente Nacional da JS, a Juventude, Preta e/ou Parda, Pobre e Favelada não terá a oportunidade de cursar uma Universidade caso Bolsonaro tenha sucesso.
“Os mais prejudicados são os mesmos de sempre: jovens pretos, pardos, pobres e favelados. A gente sabe, não somos bobos. Quando as universidades públicas começam a ficar menos branca, acontece as perseguições aos alunos e professores, chantagens com os reitores, fake news e corte no orçamento. Nossa missão é ser a juventude que Brizola dizia; o movimento transformador do Brasil”, termina William.