Axel Grael toma posse com Bagueira em Niterói e reafirma que combate à Covid-19 será a sua prioridade inicial

O novo prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), tomou posse na manhã desta sexta (1º) na Câmara de Vereadores juntamente com o vice Paulo Roberto Mattos Bagueira e os 21 vereadores eleitos. A solenidade foi comandada por Paulo Velasco (AVANTE), o parlamentar mais idoso, e  transmitida pelas redes sociais. O ato se realizou de acordo com  protocolos de segurança contra a Covid-19 como uso de máscaras e público reduzido.

O presidente da Câmara, Milton Cal, fez a leitura do Termo de Compromisso do prefeito e vice e, em seguida, Grael e Bagueira fizeram o juramento e assinaram o termo de posse. Em seu discurso, Axel falou sobre problemas que serão prioridade do governo nos próximos 100 dias e lembrou sua trajetória ao lado da gestão de Rodrigo Neves nos últimos oito anos.  Reafirmou também seu compromisso com políticas públicas relacionadas à sustentabilidade e reafirmou seu compromisso contra a pandemia.

Em  seu 1° discurso como prefeito, emocionado,  agradeceu aos eleitores pela vitória no 1° turno, saudou  seu vice-prefeito, Paulo  Bagueira; e também os vereadores eleitos.  Falou sobre a história de sua família em Niterói e sua participação no governo de Rodrigo.

“Quero expressar meu orgulho e  privilégio de viver esta emoção de estar diante de cada um de vocês. Agradeço aos mais de 150 mil eleitores que me honraram com seu voto e confiança para que pudesse estar exercendo, agora, este papel. Agradeço ao prefeito Rodrigo Neves, de quem tenho orgulho de ter sido vice-prefeito e parte da equipe de trabalho (…)  Agora, como titular do Executivo Municipal, continuaremos abertos ao diálogo e que  em 2021 o mundo supere a pandemia e reencontre o caminho da prosperidade”, afirmou.

Axel reafirmou que os primeiros 100 dias de seu governo serão de total enfrentamento à pandemia.

“Sempre trabalhei muito, mas com Rodrigo (Neves) foi muito mais. Estamos deixando 700 milhões em caixa, depois de herdar Niterói com um rombo enorme. Fizemos 550 obras em oito anos,  embora em 2020 a pandemia nos tenha obrigado a reduzir o ritmo. Fizemos o túnel Charitas-Cafubá, que mudou a geografia da cidade;  investimos no transporte ativo, pelo Niterói de Bicicleta e hoje a bicicleta incorporada ao cotidiano das pessoas, é um orgulho. Também fizemos as obras das ruas Marques de Paraná e Paulo Alves, entre outras,  esperadas há anos”, listou Axel, ao citar algumas das realizações dos últimos 8 anos de governo.

Antes de Axel, Bagueira tinha discursado.  Relembrou os muitos anos em que presidiu a Câmara e falou sobre os desafios de assumir a função de vice-prefeito.  Bagueira também pediu que todos fizessem um minuto de silêncio em homenagem ao vereador eleito Carlos Boechat, morto em dezembro, por complicações da covid-19.

“Tenho 28 anos de vida pública. Fiquei por sete mandatos como vereador, seis como presidente do Parlamento, com  uma curta passagem na Alerj e uma curta passagem na Prefeitura. Hoje estou aqui com o companheiro e amigo Axel Grael e  quero agradecer a  esta casa e fazer minha despedida do Legislativo. Tenho certeza que estou saindo com muita alegria, mas também com muita saudade”, disse.

Axel  é engenheiro florestal, gestor público, ambientalista,  empreendedor social e consultor. Com os irmãos, Torben e Lars, iatistas medalhistas olímpicos, fundou o Projeto Grael.  Na década de 70, ainda aos 17 anos, iniciou a sua militância ambientalista, liderando iniciativas pioneiras em defesa da Baía de Guanabara e a campanha que resultou na criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca. Em 2012, elegeu-se vice-prefeito de Niterói (RJ) pelo Partido Verde, na chapa do candidato a prefeito Rodrigo Neves (PT), sendo eleito para o mandato 2013-2016. Na gestão de 2017-2020, ocupou a Secretaria Executiva e a Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão – SEPLAG.

Axel Grael tem um patrimônio declarado de R$ 934.598,24; já o vice Bagueira, tem 61 anos, é casado é advogado formado pela Universidade Cândido Mendes e tem um patrimônio declarado de R$ 4.057.257,52. O prefeito e os vereadores foram eleitos em novembro de 2020. Grael venceu em primeiro turno, com 62,56% dos votos.

Hoje a maior  bancada da Câmara é a do PDT, com 4 representantes e terá como líder o vereador  Binho Guimarães, oriundo da juventude do partido.  Na mesma reunião da Câmara, além da posse do prefeito e vice, os vereadores elegeram a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal que ficará assim composta:  vereador Milton Cal (PP), reeleito presidente; Renato Cariello (PDT), 1º vice; Paulo Velasco (Avante), 2º vice; Emanuel Rocha (Solidariedade), 1º secretário; e Adriano Boinha (PDT), 2º secretário.

Em seu pronunciamento Cal disse entender as abstenções e agradeceu o apoio do PSOL para “enfrentar os enormes desafios que estão por vir”.

“Essa presidência não é minha, é do conjunto dos vereadores. Ela nunca será monocrática, sempre democrática. Espero contar com a ajuda de todos para que o próximo governo possa aprovar o que for bom para Niterói”, disse Cal.

Tomaram posse os seguintes vereadores eleitos:

Andrigo de Carvalho (PDT), Professor Tulio (PSOL), Renato Cariello (PDT), Paulo Velasco (Avante), Benny Briolly (PSOL), Cal (PP), Verônica Lima (PT), Paulo Eduardo Gomes (PSOL), Leandro Portugal (PV), Gallo (Cidadania), Beto da Pipa (PL), Fabiano Gonçalves (Cidadania), Binho Guimarães (PDT), Emanuel Rocha (Solidariedade), Leonardo Giordano (PCdoB), Rodrigo Farah (MDB), Douglas Gomes (PTC), Daniel Marques (DEM), Adriano Boinha (PDT), Casota (PSDB) e Folha (PSD).

 

LEIA DISCURSO DE POSSE DE AXEL GRAEL


Câmara Municipal de Niterói
01 de janeiro de 2021

Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal Milton Cal
Exmo. Sr. Prefeito de Niterói (2013-2020), Rodrigo Neves Barreto.
Exmo. Sr. Paulo Bagueira, vice prefeito de Niterói
Exmos. Srs. Vereadores
Minha querida esposa, Christa Vogel Grael

Demais autoridades aqui presentes

Quero inicialmente expressar o meu orgulho de ter o privilégio de estar aqui, nesse púlpito, vivendo a emoção de estar diante de cada um de vocês, na Cerimônia de Posse como prefeito da minha amada Cidade de Niterói.

Agradeço este privilégio aos mais de 150 mil eleitores de Niterói que me honraram com a confiança para exercer este papel.

Agradeço ao prefeito Rodrigo Neves, líder do nosso projeto político, e de quem tenho o orgulho de ter sido vice prefeito e feito parte da sua equipe de trabalho nos últimos oito anos, período este que a cidade viveu um momento histórico de desenvolvimento e de avanços sociais, urbanísticos e sustentáveis, reconhecidos no país e no exterior.

Agradeço a cada um da minha equipe, atual e passadas, que me ajudaram a construir um legado pessoal que me permitiu chegar até aqui. Se eu tive sucessos, não os alcancei sozinho, mas sempre de forma coletiva, contando com uma equipe, … uma tripulação…, que me ajudou a colocar tijolinho sobre tijolinho, construindo uma trajetória já de tantas décadas.

 

“Se eu tive sucessos, não os alcancei sozinho, mas sempre de forma coletiva, contando com uma equipe, … uma tripulação…, que me ajudou a colocar tijolinho sobre tijolinho, construindo uma trajetória já de tantas décadas”.


Sou descendente de um migrante dinamarquês – o engenheiro Preben Schmidt, meu avô materno, que veio para o Brasil em 1924, para ficar 15 dias. Encantou-se por Niterói e decidiu ficar por aqui, instalando-se em uma casa na Estrada (Leopoldo) Fróes, na época, uma localidade erma, de difícil acesso, fora dos limites da cidade. Quando chegou, Niterói passava por profundas obras de urbanização, lideradas por Feliciano Sodré, que dava continuidade à reforma urbana iniciada por Pereira Ferraz, desenvolvidas na década de 1910, com destaque para o aterro do Saco de São Lourenço e a construção do porto de Niterói, que seria inaugurado em 1927.

Lá na Dinamarca, Preben havia sido campeão europeu de hipismo, mas quando aqui chegou e deslumbrou-se com a nossa Baía de Guanabara e decidiu dedicar-se à vela, sendo um dos fundadores do Rio Yacht Club (Sailing) e iniciando a tradição da família no esporte. Quase um século depois, já são oito medalhas olímpicas conquistadas em nome do Brasil e de Niterói pelos netos Torben, Lars e a bisneta Martine. Oito medalhas olímpicas e um prefeito da cidade que ele tanto amou.

 

“Sou descendente de um migrante dinamarquês – o engenheiro Preben Schmidt, meu avô materno, que veio para o Brasil em 1924, para ficar 15 dias. (…) Quase um século depois, já são oito medalhas olímpicas conquistadas em nome do Brasil e de Niterói pelos netos Torben, Lars e a bisneta Martine. Oito medalhas olímpicas e um prefeito da cidade que ele tanto amou”.


Com Preben aprendi o amor pela ciência. Lembro das aulas que me oferecia enquanto velejávamos sobre geomorfologia (o estudo do relevo) do nosso entorno na Baía de Guanabara. Me mostrava como cada uma das montanhas, enseadas e praias haviam se formado ao longo de muitos milênios.

Por influência do meu avô, por ser velejador e, também por influência do meu pai, Dickson Grael, comecei a atuar como ambientalista em Niterói, no final da Década de 1970. Em uma época em que pouca gente falava sobre meio ambiente e que o termo “sustentabilidade” nem existia (surgiu 20 anos depois), lutei pelo saneamento de Niterói, contra a poluição da Baía de Guanabara, pela proteção das Lagoas de Piratininga e Itaipu, pela criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca e tantas outras lutas…

Tornei-me engenheiro florestal, formado em 1983, trabalhei em várias regiões do país (interior da Amazônia, Cerrado, Caatinga etc.). Dentre estas experiências, destaco a oportunidade de ter trabalhado na Área Indígena Nhamundá-Mapuera, no Pará, aprendendo com várias etnias, principalmente com a cultura Wai-wai, sobre os segredos da vida na floresta. Em 1991, a convite do governador Leonel Brizola, assumi o meu primeiro desafio na administração pública: ser presidente do Instituto Estadual de Florestas. Curiosamente, exatamente 30 anos depois, assumo aqui hoje como prefeito de Niterói: janeiro de 1991 / janeiro de 2021. Depois do IEF, fui presidente da FEEMA por duas vezes, fui subsecretário estadual de Meio Ambiente e tantos outros cargos de direção na administração pública.

Falo com orgulho de cada um destes passos da minha trajetória, mas foi em 2012, que a minha vida teve a mudança mais importante. Foi quando aceitei o convite para me candidatar a vice prefeito na chapa do prefeito Rodrigo Neves. Foi um grande desafio. Enfrentamos uma campanha, que por mais confiantes que estivéssemos, considerava-se que era um desafio de êxito improvável. Mas vencemos. Fomos eleitos e começamos a trabalhar na administração municipal em 2013.

Eu digo para vocês, que eu sempre trabalhei muito, mas com o Rodrigo, nunca trabalhei tanto. Pegamos a Prefeitura endividada e saneamos as contas. Recebi a incumbência de Rodrigo para captar recursos para a cidade e trouxemos mais de R$ 1,2 bilhão, quase o orçamento total do primeiro ano da nossa gestão.

 

“…eu sempre trabalhei muito, mas com o Rodrigo, nunca trabalhei tanto”.

 

Uma cidade que tinha uma média de investimentos nos anos anteriores a 2013, de cerca de R$ 40 milhões/ano, passou a contar com uma média R$ 160 milhões/ano para investimentos em infraestrutura nos anos da gestão do Rodrigo. Foram mais de 550 obras realizadas em oito anos, fora as pequenas intervenções. Para 2020, a previsão de investimentos era de R$ 500 milhões, mas infelizmente fomos surpreendidos pela pandemia o que nos levou a reduzir o ritmo de obras.

Fizemos obras históricas, esperadas há gerações, como é o caso da TransOceânica, que incluiu o Túnel Charitas-Cafubá, e mudou a mobilidade da cidade e até, pode-se dizer, mudou a geografia da cidade aproximando bairros antes distantes. Além da TransOceânica, foram investidos mais de R$ 350 milhões em obras de pavimentação e drenagem na Região Oceânica desde 2013, perfazendo mais de 150 ruas. Em 2020, foram iniciadas obras da segunda etapa de investimentos em pavimentação e drenagem na Região Oceânica, com mais 200 ruas e investimentos também de cerca de R$ 210 milhões.

Por falar em TransOceânica, na agenda da mobilidade, Niterói investiu também no transporte ativo, implantando através do programa Niterói de Bicicleta, mais de 40 km de ciclovias e agora iniciará a implantação de mais 60 km de novas ciclovias na Região Oceânica. Hoje, a bicicleta está definitivamente incorporada no cotidiano da cidade, com um número de ciclistas que já quadruplicou desde 2015. Também cabe destaque algumas obras viárias que resolveram antigos gargalos do trânsito de Niterói, como a Marques do Paraná e agora a Paulo Alves.

Na agenda da resiliência, Niterói tem provavelmente a maior carteira de investimentos em obras de contenção de encostas no país, com cerca de R$ 500 milhões investidos. A isso, somam-se todos os esforços para a modernização da Defesa Civil de Niterói, que já é considerada uma das melhores do país.

Na agenda ambiental, tão vinculada à minha trajetória pessoal, só posso me orgulhar do que estamos fazendo. Nos últimos anos, levamos a cidade a uma posição de destaque em políticas públicas para a sustentabilidade. Em 2014, criamos o programa Niterói Mais Verde, através do Decreto 11.744, e ampliamos a área protegida para mais da metade do território municipal. Quantas cidades podem ostentar isso, ainda mais num contexto metropolitano? E, diferente do que acontece no nosso país afora, onde infelizmente ainda não temos um olhar empreendedor para os parques, que na maioria das vezes existem apenas no papel, aqui as áreas protegidas estão incluídas nas estratégias de desenvolvimento da cidade, seguindo a experiência de outros países, como dos EUA, onde os parques representam 3% do PIB daquele país. Aqui, por exemplo, estamos implantando o Parque Orla de Piratininga Alfredo Sirkis, que conta com as mais avançadas tecnologias sustentáveis, como as chamadas Soluções Baseadas na Natureza, que ajudarão a despoluir a Lagoa de Piratininga. O trabalho aqui realizado ganhou reconhecimento numa publicação da FAO, órgão da ONU, que listou numa publicação as melhores experiências mundiais em gestão de florestas urbanas e Niterói está lá.

Com o programa Niterói Jovem EcoSocial desenvolvemos uma política pública que integra a sustentabilidade à inclusão social de jovens de comunidades. Estes participam de esforços de reflorestamento de encostas, gestão de resíduos e ações de defesa civil nas comunidades. Além de tudo isso, participam de cursos profissionalizantes oferecidos pelo SENAI e financiados pela Prefeitura.

Na agenda do saneamento, estamos entre as melhores cidades do país em coleta e tratamento de esgoto e na gestão de resíduos sólidos urbanos.

Na Educação, construímos 26 novas escolas e aumentamos a oferta de matrículas em mais de 3.000 vagas. Avançamos muito na implantação do tempo integral na escola, que já é praticada na metade das escolas municipais. Avançamos também na valorização dos profissionais de educação, com a implantação do Plano de Cargos e Carreiras. Na Saúde, Niterói deu respostas no momento que a população mais precisou, estruturando o Programa de Renda Básica, o programa de Busca Ativa, o Empresa Cidadã e o Supera Mais. Um conjunto de atividades que permitiu que mais da metade da população da cidade fosse atendida e que as iniciativas alcançassem o reconhecimento internacional, como verifica-se em prêmios, reportagens em alguns dos principais jornais do mundo e referências em trabalhos técnicos.

Na segurança pública, uma das maiores preocupações de quem vive na Região Metropolitana do Rio, Niterói é um exemplo. O prefeito Rodrigo Neves abandonou o discurso tradicional de eximir a responsabilidade municipal e fez a opção por assumir o protagonismo sobre as ações, adotando uma abordagem mais inovadora para o problema. Estruturou o Pacto Niterói Contra a Violência, com um investimento previsto de cerca de R$ 304 milhões, incluindo ações de Prevenção, Policiamento e Justiça, Convivência e Engajamento e Ação Territorial Integrada. Investimos em ações sociais, tecnologia e muito planejamento. Ampliamos o efetivo da Guarda Municipal e criamos o Niterói Presente. Os resultados alcançados na área de segurança são muito expressivos: na letalidade violenta, tivemos uma queda de 31,38% na comparação entre os meses de janeiro a outubro de 2019 e 2020. Ou seja, 124 vidas foram poupadas em Niterói. Outros indicadores, como Roubo de Rua, tivemos uma queda no mesmo período de 51,94%, Roubo de Veículos: redução de 65,67%, etc.

Podemos destacar aqui muitos outros casos de sucesso nas políticas públicas da cidade: na cultura, no esporte, na gestão fiscal, na transparência etc.

O fato é que a gestão do prefeito Rodrigo Neves, oito anos que se encerram agora, foi exercida nesta que pode ter sido a pior década da história da República. Enfrentamos graves crises políticas e econômicas, tanto no país como no estado do Rio de Janeiro. No último ano, acrescentou-se a crise sanitária da COVID-19, o maior desafio da nossa geração. Mesmo com condições tão adversas, a gestão de Rodrigo alcançou 85% de aprovação da população de Niterói: um reconhecimento consagrador.

Bagueira e eu, fomos candidatos e dialogamos com a sociedade de Niterói assumindo o compromisso de dar continuidade ao modelo de gestão e seguir o planejamento estabelecido para a cidade através do Plano “Niterói que Queremos”, que estabeleceu um projeto de cidade com um horizonte para o ano de 2033. Durante a campanha eleitoral, fizemos um longo debate e acrescentamos alguns ajustes de rumo para que a cidade siga em frente em condições de superar novos desafios, como a retomada da economia e do cotidiano das pessoas no período Pós-COVID.

O resultado das urnas, que nos deu 62,56% dos votos, ou 151.846 votos, mostrou que a população quer a continuidade da gestão e do projeto de cidade. Manteremos a gestão da cidade com um olhar integrador mas com prioridade para os que mais precisam; com transparência; participação, com legalidade, integridade e correção; com planejamento e com base na ciência, na boa técnica e nas melhores práticas.

Reafirmo aqui os compromissos que assumimos durante a campanha:

1- Manter o programa de Renda Básica até a chegada da vacina. A prorrogação do programa foi aprovada por este parlamento nos últimos dias e o pagamento dos auxílios será uma das minhas primeiras medidas.

2- Apoio à retomada da economia, com as seguintes atividades: desenvolvimento de um ecossistema de inovação (para isso vamos estreitar ainda mais a nossa relação de parceria com a UFF), desenvolvimento do Polo Logístico do Mar e Dragagem do Canal de São Lourenço, Novo Mercado Municipal, Nova Orla e apoio ao Turismo.

3- Melhorias Habitacionais, com medidas para a geração de oportunidades de emprego e renda nas comunidades

4- Novo Ciclo de Investimentos para a Zona Norte, incluindo a implantação da Nova Alameda e do Terminal de Integração e ampliação de ciclovias e bicicletários.

5- Conclusão das obras de Drenagem e Infraestrutura da Região Oceânica

6- Revitalização do Centro, com o incentivo à ocupação habitacional, com a nova Praça Arariboia, Amaral Peixoto e Rio Branco, além da implantação do Parque Esportivo na Concha Acústica

7- Expansão do Niterói Presente para Todas as Regiões da Cidade

8- Melhoria e modernização do sistema de saúde da cidade, com a implantação do prontuário eletrônico, expansão do programa Remédio em Casa, Alcançar 100% do Médico de Família

9- Fortalecimento de Niterói como referência de Cidade Inteligente e promoção da conectividade em áreas de comunidades

10- Ampliação do horário integral nas escolas municipais

11- Fortalecimento de programas como o EcoSocial, Espaços Nova Geração e o Jovem Aprendiz

12- Despoluição das Lagoas de Piratininga e Itaipu, implantação do Parque Orla de Piratininga e a universalização do saneamento

Além dos compromissos aqui listados, daremos uma especial atenção à superação da COVID-19, a salvar vidas e a proteger a economia e empregos, buscando que a vacinação da população aconteça em Niterói o mais rápido possível. Também já estamos elaborando uma Carta de Serviços que levará à melhoria do atendimento que fazemos em cada um dos órgãos municipais, de forma a melhorar cada vez mais a vida da população de Niterói.

Para encerrar, gostaria de parabenizar cada um dos vereadores reeleitos, os novos vereadores que chegam a essa Casa e desejar a todos um ótimo trabalho. No Executivo Municipal, estaremos abertos e procurando o diálogo permanente com o Legislativo e trabalhando juntos, para o bem da cidade, como aconteceu na gestão do prefeito Rodrigo Neves. Esta integração foi certamente um dos segredos para a boa performance das políticas públicas em Niterói.

Que em 2021 o mundo supere a pandemia, reencontre o caminho da prosperidade e avance na busca de um futuro mais sustentável e de justiça social.

Paz e muita SAÚDE para todos em 2021!!!

Axel Grael

Prefeito de Niterói

 

FonteS: “O Dia”, “A Tribuna”, “Toda Palavra”, blog de Axel Grael